O Legislativo perto de você


2012 inicia com manifestação em frente à Prefeitura
16/01/2012



Na manhã dessa quinta-feira (12), os moradores de Batatuba fizeram uma manifestação na Avenida Dr. Cândido Rodrigues, em frente à Prefeitura Municipal, reivindicando esclarecimentos e a retomada da obra da ponte de acesso à Vila dos Romites.
Cerca de 50 pessoas participaram do ato, que tinha como objetivo garantir a continuidade da obra iniciada em julho de 2008.
A interrupção da obra já foi pauta de várias discussões dos vereadores e tema de diversos requerimentos encaminhados ao Executivo. Nos documentos, os vereadores solicitaram explicações da Prefeitura sobre o desprezo ao antigo projeto – elaborado na gestão da ex-prefeita Terezinha Peçanha – porém, as respostas encaminhadas ao Legislativo não conseguiram convencer eficientemente os vereadores.
De acordo com as alegações do Executivo, houve falhas no projeto inicial que culminaram na condenação das colunas. Além disso, segundo informações prestadas pelo Diretor do Departamento de Obras, o Engenheiro Luiz Henrique de Castro Valente, a obra não dispunha das licenças ambientais necessárias, e nem mesmo foram feitas sondagens das imediações, o que tornou completamente inviável a continuidade dos trabalhos. 
Diante das alegações, em abril de 2010 o vereador Dr. Luiz Henrique Bueno (DEM) foi até São Paulo, na sede da empresa Coplem Engenharia Ltda e questionou o engenheiro responsável, Marcos Martin, acerca das justificativas do Executivo, o que foi contestado pelo engenheiro. “A obra foi realizada conforme a solicitação da Prefeitura, causa estranheza afirmarem que as colunas estão condenadas. Desafio qualquer engenheiro a emitir um laudo de condenação. Isso não existe!”, retrucou.


Valores inflacionados


Além da primeira obra – inacabada e  orçada em R$ 355.962,31 – a prefeita Fabiane Santiago (PV) anunciou em meados de junho de 2010 a construção de uma nova ponte, desta vez orçada em R$ 565.735,00. Porém, tudo não se passou do papel. Isso porque, mal haviam começados os trabalhos e a empresa vencedora, Segeplan Engenharia, solicitou um aditamento da obra, pleiteando o valor total de R$ 830.000,00, sob a alegação de que o projeto precisaria sofrer alterações.  Tal fato resultou, mais uma vez, na interrupção da obra e no cancelamento do contrato com a empresa no final de dezembro de 2010.
Em novembro passado, uma nova placa anunciando a obra foi fixada no bairro. Novamente sob a execução da empresa Segeplan Engenharia, e, desta vez, orçada em R$ 632.065,50.
Os números informados causaram novas indagações e gerou polêmica no município, vez que a própria empresa havia afirmado, no contrato anterior, que o custo seria em torno dos R$ 830 mil. Outro dado anunciado que causou repercussão foi o número de famílias beneficiadas na Vila dos Romites. Conforme a placa, a ponte de acesso a Vila dos Romites beneficiará  4.500 famílias, o que representa uma média de 18 mil pessoas naquela vila.
“Como a mesma empresa se submete a construir uma ponte por um valor inferior ao que ela mesma havia orçado? O contrato anterior foi cancelado sob a justificativa de que a empresa Segeplan havia pedido o montante de R$ 830 mil para a execução da obra. Além disso, não entendemos o número divulgado pela prefeita.  Além disso, é estranho afirmar que a Vila dos Romites tenha 18 mil habitantes. Talvez, nem mesmo todo o bairro de Batatuba chegue a esse número. Definitivamente, não entendemos esses dados que vêm sendo divulgados pela prefeita” – afirmaram os vereadores Edmilson Armellei (PP) e Silvino Dentista (PSDB).   


O manifesto


No último dia 12, quinta-feira, os moradores de Batatuba fizeram uma manifestação na Avenida Dr. Cândido Rodrigues, em frente à Prefeitura Municipal, reivindicando esclarecimentos e a retomada da obra. 
Acompanhados pelos vereadores Edmilson Armellei (PP) e Silvino Dentista (PSDB), os moradores adentraram ao Paço e fizeram um apelo ao Executivo. Na ausência da prefeita Fabiane Santiago (PV), que encontrava-se viajando , os manifestantes foram atendidos pelo  vice-prefeito, Benedito José da Silva “Dito da Ivone” (PT), pelo Chefe de Gabinete, Benjamin Domingos Fiorellini “Bejo”, e pelo Diretor do Dep. De Obras, Luiz Henrique de Castro Valente. 
Após o apelo feito pelos moradores, o Executivo se comprometeu em improvisar uma passarela no local, visando facilitar o tráfego dos pedestres.  Segundo informações, a retomada da obra só será iniciada após o período de chuvas, e o prazo estimado para a conclusão será de 120 dias.